Documentário mostra famílias afetadas pela usina hidrelétrica de Tucuruí que vivem sem energia no Pará

0

 Dirigido pelo paraense Fernando Segtowick, 'O Reflexo do Lago' é exibido em Belém, após lançamento em festivais europeus. Filme exibe impactos socioambientais da usina que fornece energia à indústria de alumínio.


O documentário 'Reflexo do Lado', dirigido por Fernando Segtowick, retrata os impactos da usina do Tucuruí , a maior hidrelétrica da Amazônia, no sudeste do Pará, e estreia em Belém nesta quinta-feira (11), no Cine Líbero Luxardo, em Belém.

O longa foi lançado mundialmente na Mostra Panorama do Festival de Berlim, em 2020, e foi selecionado para festivais na França, Itália, Irlanda, Estados Unidos, Kosovo e Colômbia.

Segundo a produção, o documentário permite que o espectador se transporte para a região amazônica e acompanhe os reflexos causados, tanto na vida dos habitantes, como na transformação permanente da mata ao redor.



A hidrelétrica de Tucuruí foi construída na década de 1980, para fornecer energia à indústria do alumínio.

Apesar do avanço, quarenta anos depois, as pessoas que moram nas ilhas do rio Caraipé, dentro do reservatório da usina, relatam não ter acesso à eletricidade em suas casas.

Postar um comentário

0Comentários
Postar um comentário (0)
creditos: elaine gaspareto